0

Falsas formas de diagnosticar e tratar a APLV

Os charlatões não perdoam =(

Testes para alergia sem evidência científica estão resultando tanto em falsos positivos quanto falsos negativos, colocando pessoas em risco, alertam médicos de uma rede global de pesquisa que publicaram um novo manual para orientar leigos.

Leia na íntegra: http://g1.globo.com/bemestar/noticia/2015/10/diagnosticos-e-tratamentos-ineficazes-para-alergia-proliferam-diz-cientista.html

Anúncios
0

Substituindo o pão de queijo… Pãezinhos de batata baroa

Gente, essa receita tem toda semana aqui em casa! Uma delícia!

BELA-EP6-MANDIOQUINHA

http://gnt.globo.com/receitas/receitas/pao-de-mandioquinha-ou-batata-baroa-receita-da-bela-gil.htm

Ingredientes
200g de polvilho azedo
300g de polvillho doce
150ml de azeite de oliva
500g de mandioquinha (cozida e espremida)
1/3 de xícara de água
1 colher de chá de sal marinho
1 colher de sopa de orégano, alecrim, manjericão ou açafrão da terra (para ficar mais amarelinho)

Modo de preparo:
Misture o polvilho doce, o azedo, sal, ervas e óleo em uma tigela grande. Acrescente o purê de mandioquinha e, aos poucos, vá adicionando a água. Misture a massa até ficar homogênea. Faça os pães do tamanho e formato que desejar. Pré-aqueça o forno (10 minutos) a 180 C. Sem untar a forma, coloque os pães em uma assadeira e deixe no forno por 20 a 25 minutos, dependendo do forno. Se necessário, após estes 20 minutos, aumente um pouco o forno (por volta dos 205 C) para dourar um pouco, por cerca de 15 minutos.

2

Helena com 1 ano e 8 meses

Sendo ela a razão da existência do blog, não é justo não falar mais dela. Minha Helena com 1 ano e 8 meses, cada dia mais falante, sapeca, graças a Deus feliz e saudável. Como todos sabem já curada da APLV, mas mesmo assim tento ao máximo manter sua alimentação em bons padrões. A fase de desânimo na cozinha já passou (era o desânimo geral do primeiro trimestre da nova gestação) e estou retomando os testes de receitas. Essa semana que passou percebi num passeio ao shopping o quanto ela gosta de sorvete, cheguei em casa e testei essa receita e ela adorou! Mais uma opção aos alérgicos! =)

http://gnt.globo.com/receitas/receitas/sorvete-de-frutas-congeladas-receita-da-bela-gil.htm

2014.11 casamento lu (14)

0

Dicionário APLV

Este post retirei do site da querida Mari – aliás dar uma passadinha no site dela é indispensável, muita coisa legal constantemente! =) Fonte: http://www.desafiomamae.com.br/dicionario-aplv/

Ao descobrir a alergia à proteína do leite de vaca da minha filha, tive que aprender muito mais além daquilo que ela pode ou não pode comer, tive de incorporar ao nosso dia-a-dia um verdadeiro dicionário APLV.

Começando pela sigla APLV, que significa Alergia à Proteína ao Leite de Vaca, esclareço abaixo diversas palavras relacionadas a esta alergia:

LV: leite de vaca

CV: carne de vaca

LA: aleitamento com fórmulas infantis. Estas fórmulas podem ser introduzidas na alimentação de lactentes com a indicação expressa de um profissional de saúde em pequenas quantidades, mesmo quando o bebê ainda se alimenta de leite materno, recebendo o nome de complemento. Saiba como foi a introdução da fórmula infantil e a primeira reação alérgica da minha filha.

LD: livre demanda. Aleitamento materno sem horários definidos para a amamentação. Consulte o post completo sobre Livre Demanda.

IA: introdução alimentar em bebês que até então somente se alimentavam de leite materno. É durante a introdução alimentar de determinados alimentos que podem ser observadas as primeiras reações alérgicas.

Provocação: teste de introdução de alimentos com proteínas do leite de vaca na alimentação do indivíduo com APLV. Este teste também pode ser chamado de duplo-cego, quando médicos e responsáveis não sabem que o indivíduo possui em sua dieta os alimentos alergênicos.

LM: aleitamento materno.

Dieta de exclusão ou hipoalergênica: retirada dos alimentos com proteínas do leite de vaca da dieta. Fiz um post sobre a dieta hipoalergênica da mamãe durante o LM.

Traços: “contaminação” do produto que foi fabricado ou manipulado por máquinas e/ou utensílios onde foram fabricados ou manipulados produtos com proteína do leite de vaca ou derivados. Assim, os produtos com traços de leite acabam por conter quantidades mínimas desses ingredientes durante a fabricação ou manipulação. Também fiz um post com mais informações sobre os traços de leite, para acessar o post completo.

Alimentos limpos: alimentos que não possuem em sua composição proteínas do leite de vaca, incluindo a isenção de traços.

Manifestações mediadas ou não mediadas: são reações mediadas por IgE aquelas que ocorrem de minutos a duas horas após a ingestão do alimento alergênico. Manifestações não IgE-mediadas, ocorrem 48 horas ou até uma semana após o contato. Para mais informações sobre as reações após a introdução do alimento alergênico.

Ingredientes que podem conter leite de vaca: aroma de queijo, sabor caramelo, caseína, sabor creme da bavária, caseinato, sabor creme de coco, lactoalbumina, sabor de açúcar queimado, lactoglobulina, sabor de manteiga, lactose, sabor iogurte, lactulose, sabor leite condensado, proteínas do soro, sabor queijo, soro de leite, whey protein, sabor artificial de manteiga e soro de manteiga.

Lactose: açúcar presente no leite e seus derivados.

IL: intolerância a lactose. Também fiz um post sobre a diferença entre intolerância a lactose e alergia à proteína do leite de vaca.

RAST: exame de sangue para o diagnóstico da alergia alimentar. Este exame pesquisa a presença de anticorpos IgE (responsáveis pela alergia) para o alimento suspeito de desencadear alergia alimentar. Através deste exame, é diagnosticada alergia aos principais alimentos que causam reações alérgicas: leite de vaca, ovo, trigo, soja, amendoim, castanha e nozes, peixes e frutos do mar. Acesse o post sobre o aumento dos casos de alergia alimentar.

Muco: uma das reações causadas pela alergia à proteína do leite de vaca é o aumento do catarro (o leite de vaca aumenta o muco), presentes nas crianças que parecem sempre estar doentes. Outras reações causadas pela APLV são quadros de diarreia, peso menor do esperado, prisão de ventre, irritabilidade, refluxo, vômitos, vermelhidão na pela, chiado, entre outros. Leia o relato completo da descoberta da APLV da minha filha.

Diário alimentar: relatório diário com informações sobre a alimentação ingerida pela pelo indivíduo com alergia à proteína do leite de vaca.

E Atenção! Somente um profissional de saúde está capacitado para diagnosticar a APLV. Juntamente com ele, o nutricionista poderá prescrever a dieta correta para que o seu bebê não tenha problemas de desenvolvimento e crescimento por falta de nutrientes.

Se você se lembrar de algum outro termo, ou tenha dúvidas em relação a um termo provavelmente relacionado à APLV, comente, que responderei e/ou completarei o nosso Dicionário APLV imediatamente.

Abraços,

Mari.