Sugestão da alergista para evitar que a alergia ao leite torne-se alergia alimentar múltipla

A alergista da minha filha, por coincidência  tem um filho com APLV e além de me instruir como médica me instruiu como mãe, portanto gostaria de dividir a sugestão da alergista da minha filha, a qual pretendo seguir:

Segundo ela, o bebê que tem alergia ao leite possui uma predisposição a desenvolver outros tipos de alergias alimentares, simplesmente porque seu organismo ainda não está “maduro” vamos dizer assim. Visando evitar que isso aconteça, ela como mãe decidiu manter somente o leite até os 6 meses e após dar início aos alimentos sólidos não introduzir alimentos que possuem potencial alergênico até seu filho ter, pelo menos, 1 ano de idade. Hoje, o filho dela de 11 meses, ele toma o Pregomin Pepti e nunca comeu alimentos com glúten, ovos, soja, morango, amendoim e frutos do mar em geral. A princípio achei algo drástico, mas pensando bem pretendo seguir esta orientação, torcendo para que com o passar do tempo e sem o contato com estes alimentos minha filha fique com o organismo cada vez mais forte, diminuindo as chances de desenvolver alergia múltipla.

Os alergênicos mais comuns estão listados abaixo

Fonte: http://www.nutraceutica.com.br/crescerbem/Artigo_Alergia.htm

  • LEITE – verificar deficiência protéica, riboflavina, vitamina A, vitamina D e cálcio. Seja cuidadoso com a introdução de leite de vaca na infância.
  • OVOS – verificar deficiência de ferro. A albumina dos ovos é usada em marshmallows, alimentos congelados e outras misturas para alimentos. A gema é normalmente bem tolerada.
  • TRIGO, AVEIA, CEVADA, CENTEIO – o glúten presente nesses alimentos pode causar alergia a crianças portadoras de doença celíaca.
  • PEIXE – o peixe estragado apresenta altos teores de histamina, mesmo antes que haja alteração do sabor.
  • FRUTOS DO MAR (caranguejo, lagosta, camarão): podem desencadear reações severas.
  • TOMATES – uma reação alérgica a tomates está normalmente associada à frequência de uso na dieta.
  • FRUTAS CÍTRICAS – pessoas alérgicas à frutas cítricas podem facilmente apresentar carência de vitamina C. Nesse caso é necessário uma fonte suplementar dessa vitamina.
  • COCA-COLA, CHOCOLATE: a sensibilidade a estes alérgenos é facilmente identificada.
  • LEGUMINOSAS (soja, ervilha, feijões). Verificar no rótulo a presença de lecitina e de outros aditivos da soja, também alergênicos.
  • MILHO – outras fontes de milho são o amido de milho (maizena, cereais como corn-flakes), calda de milho (Karo), óleo de milho, iogurte congelado, farinhas.
  • CASTANHAS, AMENDOIM – convém evitá-los. As aflatoxinas podem causar reação.
  • TEMPEROS – canela é um alérgeno comum.
  • ADITIVOS ALIMENTARES E CERTOS MEDICAMENTOS – corantes, conservantes, etc , bem como certas drogas contendo aspirina, salicilatos, penicilina. Sulfitos, aditivos muito comuns utilizados em picles, cervejas, vinhos, coca-cola, frutas e vegetais secos, cerejas ao marasquino, batatas secas ou congeladas também podem provocar reações alérgicas.
  • FERMENTO NATURAL – Adotar uma dieta pobre em leite e laticínios, cogumelos, queijos, cremes fermentados, bacon, geléia, temperos e salsichas (e linguiças).

Fica a dica 🙂

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s